Petrobras Eyes Angola’s Subsalt Potential

24 de setembro de 2008

http://www.petroleumafrica.com/read_article.php?NID=6501

Petroleum Africa

Wednesday, September 24, 2008

Petrobras Eyes Angola’s Subsalt Potential

Brazil’s state-owned oil and gas firm Petrobras said that it plans to conduct seismic tests for subsalt oil deposits in Angola according to a report in the Brazilian paper O Estado de Sao Paulo. The company’s Executive Manager Samir Awad said that the tests will take place in 2009.

“It’s possible that we could also discover oil there and, starting with seismic tests, we could know whether it’s worth exploring the African subsalt layer,” Awad said. The company recently made a subsalt discovery off the coast of Brazil and Petrobras is hoping Angola shares the trend.

According to geologists, the South American and African coasts share geologic similarities, including a salt layer that covered deposits of organic material. “Geologic similarities, however, may not generate great results,” said Awad.

http://www.petroleumafrica.com/read_article.php?NID=6501
Anúncios

Lula participa amanhã da primeira extração de óleo do pré-sal

21 de setembro de 2008

 http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/09/01/materia.2008-09-01.4540390833/view

AGÊNCIA BRASIL

1 de Setembro de 2008

Lula participa amanhã da primeira extração de óleo do pré-sal

Roberta Lopes

Repórter da Agência Brasil

Brasília – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai amanhã (2) ao Espírito Santo, onde participa do ato que marcará a primeira extração oficial do óleo do pré-sal. Será na plataforma Juscelino Kubitschek P-34, da Petrobras, que funciona no campo de Jubarte, no litoral capixaba.

Ainda em Vitória, o presidente participa do lançamento de um selo comemorativo da extração do óleo.

Lula também tem um almoço agendado com o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung.

As informações foram dadas pelo porta-voz da Presidência da República, Marcelo Baunbach.

http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/09/01/materia.2008-09-01.4540390833/view

Primeiro Jornal – Presidente Lula diz que uma parte do dinheiro do Presal será para a educação

15 de setembro de 2008

Primeiro Jornal – Presidente Lula diz que uma parte do dinheiro do Presal será para a educação

Vídeo com reportagem do telejornal: “Primeiro Jornal”

Presidente Lula defende que uma parte do dinheiro do Pré-sal vá para a educação.

Publicado no Youtube em 15 de setembro de 2008

http://www.youtube.com/watch?v=IEg8_DNLfz8


Acordo nuclear Brasil-Argentina: grande passo na integração regional

5 de setembro de 2008

http://www.msia.org.br/ibero-am-rica-iberoam-rica/670.html

MOVIMENTO DE SOLIDARIEDADE IBERO-AMERICANA
05/09/2008

Acordo nuclear Brasil-Argentina: grande passo na integração regional

Uma das mais promissoras iniciativas para alavancar a estratégica cooperação científico-tecnológica entre o Brasil e a Argentina sairá proximamente do papel. No próximo dia 6 de setembro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua colega argentina Cristina Kirchner receberão o projeto de criação de uma empresa nuclear binacional, que atuará nas áreas de enriquecimento de urânio, produção de radiofármacos, aplicações nucleares em saúde e agricultura, tecnologia de materiais e desenvolvimento de reatores de pesquisa.

A formação da empresa, que foi uma das propostas discutidas na cúpula Kirchner-Lula, em fevereiro último (Resenha Estratégica, 27/02/2008), foi decidida após os trabalhos do Comitê Binacional de Energia Nuclear (COBEN), grupo de especialistas criado para implementar a cooperação setorial. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo (24/08/2008), o presidente das Indústrias Nucleares do Brasil (INB), Alfredo Tranjan Filho, que também integra o COBEN, sinalizou as perspectivas da futura empresa:

Concluímos que seria mais eficiente criar uma empresa binacional abrangente, voltada não só para o enriquecimento de urânio, mas também para outras oportunidades e necessidades dos dois países e do mercado ampliado da América do Sul nas áreas de saúde, agrícola, de radiofármacos… Esse é o panorama que vamos apresentar (a Lula e Cristina) em setembro, além de 61 outros projetos.

A futura empresa argentino-brasileira tem tudo para ser uma das mais importantes alavancas da “associação estratégica” entre as duas maiores economias da América do Sul (como definiram Kirchner e Lula em Buenos Aires). Atuando em áreas de ponta do conhecimento científico e tecnológico, a iniciativa tem um vasto potencial de efeitos multiplicadores para vários setores correlatos, inclusive industriais, proporcionando uma sinergia talvez inusitada entre países em desenvolvimento, sem falar na sua relevância para a disseminação de tais vetores de modernização econômica na América do Sul.

A reportagem do “Estadão” ressalta o potencial de atuação da nova empresa. Até 2030, estima-se que entre 12 e 15 centrais nucleares deverão estar em operação na América do Sul, não apenas na Argentina e no Brasil, mas também no Chile, Uruguai, Peru e Venezuela, cujos governos têm planos para entrar no setor. Para se dar uma idéia de tais potenciais, uma única usina nuclear do porte da de Angra-2 (1300 MW) poderia fornecer toda a eletricidade atualmente consumida no Uruguai.

No Brasil, o programa nuclear recém-aprovado pelo Governo Federal contempla a conclusão da usina Angra-3 até 2014 e a construção de outras seis usinas até 2030. Segundo Tranjan, o País deverá tornar-se auto-suficiente na produção do combustível nuclear até 2014. Já a Argentina pretende concluir a usina Atucha II até 2010 e a construção de duas outras.

A reportagem não esclarece como a futura empresa irá operar no tocante ao enriquecimento de urânio, ressaltando apenas que não haverá transferência de tecnologia do método de ultracentrifugação desenvolvido pela Marinha do Brasil, atualmente empregado pela INB (a Argentina emprega o ultrapassado método de difusão gasosa). De qualquer maneira, trata-se de um salto qualitativo de grande magnitude para a vital parceria binacional, da qual dependem diretamente as perspectivas da integração regional.


Entenda o pré-sal

3 de setembro de 2008

Agência Brasil

03/09/2008

A Petrobras deu início à produção do primeiro óleo da camada pré-sal na Bacia de Campos, litoral sul do Espírito Santo.

Mas o que é o pré-sal e quais são as expectativas em torno dele?

http://www.agenciabrasil.gov.br/media/videos/2008/09/03/pre-sal.flv


Brasil inicia produção de petróleo na camada pré-sal

2 de setembro de 2008

http://www.portaldocomercio.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?from_info_index=51&infoid=8353&sid=168&tpl=view_tpl04.htm

PORTAL DO COMÉRCIO

02/09/2008

Brasil inicia produção de petróleo na camada pré-sal

Plataforma no litoral sul do Espírito Santo extrairá óleo a 1.350 metros de profundidade

A Petrobras inicia nesta terça-feira (2) a produção do primeiro óleo da camada pré-sal — nova província petrolífera cujo potencial pode colocar o Brasil na lista dos maiores produtores mundiais de petróleo. A produção terá início no campo de Jubarte, na Bacia de Campos, no litoral sul do Espírito Santo. Com a produção nessa área, a empresa obterá conhecimento para ajudar a desenvolver as reservas do pré-sal localizadas no Espírito Santo e em outros pontos do litoral brasileiro.

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, participarão da cerimônia — que marca o início da produção do primeiro óleo da camada pré-sal — a bordo do navio-plataforma Juscelino Kubitschek (P-34), instalado no campo de Jubarte.

Marco – A extração do primeiro óleo da camada pré-sal marca uma nova era do petróleo no Brasil e traz extraordinárias possibilidades de desenvolvimento ao País. A produção terá início no campo de Jubarte com um Teste de Longa Duração (TLD) cujo objetivo é observar as características e o comportamento do óleo do pré-sal. A previsão é que o teste dure de seis meses a um ano.

O início da produção no Espírito Santo foi facilitado pelo fato de que o navio-plataforma Juscelino Kubitschek — que produz petróleo no campo de Jubarte desde dezembro de 2006 — estar localizado a pouco mais de dois quilômetros do novo poço exploratório, descobridor de óleo no pré-sal a 1.375 metros de profundidade.

Para viabilizar o início da produção do pré-sal, foram investidos R$ 50 milhões em adaptações na planta de processo da plataforma e finalização e interligação do poço ao sistema de produção. A estimativa é de que o potencial de produção desse primeiro poço seja de cerca de 18 mil barris por dia.

Pré-sal – As grandes reservas de petróleo e gás natural descobertas recentemente pela Petrobras acompanham boa parte da plataforma continental brasileira. O País dá início à exploração desses reservatórios que guardam uma quantidade ainda inestimável de material fóssil em depósitos localizados a seis mil metros abaixo da superfície marítima.

Os reservatórios estão sob a extensa camada de sal localizada no fundo do mar, sobretudo na área que se estende do litoral do estado do Espírito Santo ao de Santa Catarina. Esses depósitos são conhecidos como pré-sal e começaram a se formar há 150 milhões de anos, quando o grande continente do Sul, chamado Gondwana, se separou devido à movimentação das placas tectônicas. Com essa divisão, que ocorreu de forma lenta e gradual, formaram-se novos continentes, como a África e a América do Sul.

Em uma das etapas dessa movimentação surgiram lagos rasos em que a água do mar entrava e se evaporava, num processo idêntico ao que ocorre hoje com as salinas. Foram necessários mais de 500 mil anos para que o sal se depositasse formando uma camada que, nas regiões mais afastadas da costa, chegam a ter quatro quilômetros de espessura.

É justamente por conta dessa espessa camada de sal que o petróleo encontrado abaixo dela é considerado um dos melhores já descobertos no Brasil. Aprisionado pelo sal, o petróleo foi mantido em temperaturas acima de 60 graus. Nesse ambiente, sua qualidade se mantém.

Gás natural – A descoberta dos reservatórios gigantes de petróleo abaixo da camada de sal nas Bacias de Santos, Campos e Espírito Santo abre a perspectiva, também, de um aumento significativo das reservas brasileiras de gás natural. Estima-se que o volume de gás dessas acumulações poderá tornar o País auto-suficiente nesse energético.

Presidência da República, 2 de setembro de 2008.

http://www.portaldocomercio.org.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?from_info_index=51&infoid=8353&sid=168&tpl=view_tpl04.htm

Petrobras começa a extração de petróleo do pré-sal

2 de setembro de 2008

Agência Brasil
2 de Setembro de 2008

Petrobras inicia produção na região do pré-sal

Nielmar de Oliveira

Repórter da Agência Brasil

Vitória (ES) – A Petrobras deu início no final da manhã de hoje (2) à produção do primeiro óleo da camada pré-sal. no campo de Jubarte, na Bacia de Campos, litoral sul do Espírito Santo.

A primeira extração no pré-sal se dará a partir do poço 1-ESS-103ª, que estará interligado à FPSO Juscelino Kubitschek (P-34), e exigiu investimentos de cerca de R$ 50 milhões.

A produção começa com um Teste de Longa Duração (TLD), que servirá de parâmetro para que se possa observar o comportamento do óleo do pré-sal, tanto no reservatório quanto na planta de processo da plataforma – devendo durar de seis meses a um ano.

Segundo informações da Petrobras, a plataforma P-34 produz petróleo no campo de Jubarte desde dezembro de 2006, em um reservatório localizado acima da camada de sal.

“O fato de esta plataforma se situar a apenas 2,5 km do poço exploratório 1-ESS-103A, descobridor de óleo no pré-sal, abaixo do Campo de Jubarte, em lâmina d’água de 1.375 metros, possibilitou a antecipação da produção da camada pré-sal no Espírito Santo”, explicou a Petrobras.

O início da produção de Jubarte foi precedido por uma entrevista coletiva concedida na tarde de ontem na Unidade de Negócios da Petrobras, no Espírito Santo, na qual o diretor de Exploração e Produção da estatal brasileira do petróleo, Guilherme Estrella, disse que a Petrobras, ao iniciar a produção do pré-sal no Parque das Baleias, está dando um passo decisivo na ampliação dos conhecimentos que a levarão a desenvolver as reservas do pré-sal localizadas no Espírito Santo e em outros pontos do litoral brasileiro.

Estrella, informou que a estatal vem realizando nas últimas duas semanas testes de pré-operação do poço, que revelou possibilidade de uma vazão de até 18 mil barris de petróleo por dia. Ele não soube precisar, no entanto o total do campo de Jubarte, uma vez que serão necessárias perfurações de mais dois ou três poços para que isso seja definido.

“Mas temos perspectivas muito interessante e vamos perfurar mais 2 poços ainda este ano para uma melhor definição. As perspectivas exploratórias e geológicas são boas, mas para um poço exploratório vertical, com diâmetro mais estreito, a produção inicial é espetacular”.

Para Estrella, mais do que o primeiro “grande passo”, em direção ao conhecimento e ao domínio do pré-sal, o início da produção do primeiro óleo de Jubarte inicia o processo que levará a inserção do óleo do pré-sal na história da exploração de petróleo e gás natural no país.

“A partir de Jubarte nós poderemos observar como o reservatório se comporta em situação de atividade exploratória. O pré-sal surge em uma conjuntura importante para consolidar o processo de crescimento sustentado do país para os próximos anos”, avalia Estrella.

Nos últimos anos a Petrobras investiu aproximadamente R$ 1,7 bilhões na perfuração de 15 poços na camada do pré-sal. Destes, oito já foram testados e indicaram presença de petróleo leve de alto valor comercial e grande quantidade de gás natural associado, mas – segundo a Petrobras – ainda não tiveram declarada a comercialidade, estando, portanto, em fase de avaliação.

“Para atingir as camadas pré-sal, entre 5 e 7 mil metros de profundidade, a Petrobras desenvolveu novos projetos de perfuração, onde mais de 2 mil metros de sal foram atravessados.

Os dados obtidos por esses poços possibilitaram delimitar com elevado grau de segurança que as rochas do pré-sal estendem-se por uma área que vai do Espírito Santo a Santa Catarina, com 800 km de extensão e 200 km de largura, em lâmina d’água entre 1 e 3 mil metros de profundidade” segundo informações da estatal.

O poço de Jubarte está localizado a 70 quilômetros da costa do Espírito Santo, com o óleo sendo extraído a 4.700 metros de lâmina d’água (distância da superfície até o reservatório), tendo que, para isto, ultrapassar uma camada de 200 metros de sal. No caso de Tupi o reservatório está a mais de 6 mil metros de profundidade e a camada de sal chega a cerca de 2.000 metros.

O presidente Luis Inácio Lula da Silva e sua comitiva chegaram à P-34, no campo de Jubarte, às 9h40 e, depois de descerrar uma placa alusiva ao feito, o ele comandou o inicio da extração do primeiro óleo do pré-sal por volta das11h.

Após a solenidade em terra, quando encontrará com os jornalistas brasileiros e os correspondentes de várias partes do mundo presentes ao estado, Lula volta a Brasília.

Acompanham Lula, além do presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, o governador Paulo Hartung e ministros, como a chefe da Casa Civil, Dilma Roussef.

http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2008/09/02/materia.2008-09-02.0976396046/view

%d blogueiros gostam disto: