Petrobras recebe o primeiro navio “Suezmax” construído no Brasil em mais de uma década


Agência Petrobrás

07/05/2010

Transpetro lança ao mar primeiro navio do Promef

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou hoje (7/05) ao mar o primeiro navio do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef) no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), no porto de Suape, em Pernambuco. O navio do tipo Suezmax é um marco histórico para a indústria naval brasileira. Trata-se da primeira embarcação de grande porte construída no Brasil a ser entregue ao Sistema Petrobras em 13 anos. A última havia sido o Livramento, cuja construção foi encomendada em 1987 e levou 10 anos para ser concluída.

Cerimônia de Lançamento de Batismo do 1º Navio do Promef, o Suezmax "João Cândido" - 07/05/2010 - Foto: Petrobrás

“A construção deste navio tem que ser levada a sério por nós. É a auto-afirmação de um povo, que durante muito tempo foi esquecida”, afirmou o presidente da República. A determinação do presidente Lula de que fosse retomada a construção de navios e plataformas de produção de petróleo no País foi o alicerce do Promef, criado em 2004 para revitalizar a indústria naval em bases globalmente competitivas, a partir da encomenda de 49 navios.

O navio petroleiro tem 274 metros de comprimento, com capacidade para um milhão de barris de petróleo (metade da produção diária nacional), e será utilizado, principalmente, para o transporte de longo curso (viagens internacionais). Ele foi batizado “João Cândido”, em homenagem ao líder da Revolta da Chibata, pela madrinha Josenilda Maria da Silva, funcionária do Atlântico Sul, que simboliza os mais de 3.700 empregados do estaleiro, especialmente, os provenientes da região de Suape. “Nunca imaginei trabalhar em um estaleiro, não tinha perspectivas, mas hoje estou aqui. Quando a oportunidade apareceu, nós aproveitamos. É uma honra ter sido escolhida madrinha de um navio tão importante”, afirmou.

O Presidente Lula na cerimônia de Lançamento de Batismo do 1º Navio do Promef, o Suezmax "João Cândido" - 07/05/2010 - Foto: Petrobrás

A construção de dez navios Suezmax pelo EAS – criado para disputar as encomendas da Transpetro – foi a primeira obra do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) a ter o contrato assinado, em janeiro de 2007. O segundo lançamento do Promef está previsto para junho, no Estaleiro Mauá (RJ), onde um navio de produtos será batizado “Celso Furtado”, em homenagem ao economista e desenvolvimentista paraibano.

O evento marca a entrada do Promef em uma nova fase. “Este lançamento é um marco. Diziam que era impossível o Brasil voltar a construir navios. Não só voltamos a construir como estamos estabelecendo uma indústria naval moderna e competitiva, gerando emprego e mudando a vida dos brasileiros,” ressaltou o presidente da Transpetro, Sergio Machado. Entre os benefícios do programa para o País, destacam-se a criação de 200 mil empregos e a economia anual de US$ 500 milhões em divisas hoje transferidas a armadores estrangeiros.

Com apoio do governo federal e recursos do Fundo de Marinha Mercante (FMM), o Promef tirou da estagnação um segmento que estava sem encomendas significativas há quase duas décadas. Resgata-se, com isso, uma tradição iniciada no final do século XIX pelo Barão de Mauá e que teve seu auge na década de 70, quando o Brasil chegou a ser o segundo maior construtor de navios do mundo. De 2 mil empregos no ano 2000, a indústria naval atingiu mais de 45 mil empregos este ano. Com as encomendas da Transpetro e da Petrobras, o País acaba de superar a Turquia e atingir a quarta posição no ranking mundial de fabricantes de navios petroleiros.

“Este navio representa o primeiro de uma série de muitos outros que serão feitos aqui. Ele abre novas oportunidades de investimento. É o início de um ciclo virtuoso para o setor”, disse o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli.

O Presidente Lula na cerimônia de Lançamento de Batismo do 1º Navio do Promef, o Suezmax "João Cândido" - 07/05/2010 - Foto: Petrobrás

EAS – Criado a partir das encomendas da Transpetro, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS) é o maior e mais moderno estaleiro do Brasil. Ele montará 22 navios do Promef, tendo assim a maior carteira do programa. São 10 navios do tipo Suezmax (160.000 toneladas de porte bruto (TPB), capazes de transportar 1 milhão de barris de petróleo), cinco Aframax (110.000 TPB), quatro aliviadores Suezmax DP (com posicionamento dinâmico) e três aliviadores Aframax DP.

Ao longo do ano, serão lançados dois navios Suezmax no EAS e dois navios de produtos pelo Estaleiro Mauá – o primeiro destes em junho próximo, em Niterói. Completam-se, assim, os quatro lançamentos previstos pelo Promef para 2010.

Estaleiro Atlântico Sul, em Pernambuco - onde foi construído o Primeiro navio do Promef - Programa de Modernização e Expansão da Frota, da Transpetro, do grupo Petrobrás - 04/05/2010 - foto: Petrobrás

Empregos – O Promef já gerou 15 mil empregos diretos no atual estágio de construção dos navios. Este número chegará a 40 mil. Os empregos indiretos chegarão a 160 mil.

No caso do EAS, surgido com base nas encomendas do Promef, chama atenção o elevado aproveitamento de mão-de-obra local. Mais de 90% dos trabalhadores na construção do estaleiro e dos navios vêm dos cinco municípios do entorno do Complexo Portuário do Suape. São homens e mulheres que garantem o acesso a oportunidades de emprego e qualificação profissional e educacional, alargando os horizontes deles próprios e de suas famílias.

Frota própria – Com o Promef, a frota da Transpetro, hoje de 52 navios, vai se modernizar e crescer, chegando a mais de 100 navios em 2014. Esse número deve aumentar com o Promef III, a terceira fase do programa, que será lançada este ano e já está contemplada no PAC 2. O Promef III levará em conta o aumento de produção de petróleo e gás advindo dos campos do pré-sal, e a entrada em funcionamento das quatro novas refinarias no Nordeste (Pernambuco, Ceará, Maranhão e Rio Grande do Norte) e do Comperj, o complexo petroquímico em Itaboraí, no Grande Rio.

As duas primeiras fases do Promef foram concebidas antes das novas descobertas dos campos do pré-sal nas bacias de Santos e Espírito Santo, o que aponta para a criação de novas fases do programa já a partir deste ano.

O Presidente Lula e o presidente da Petrobrás na cerimônia de Lançamento de Batismo do 1º Navio do Promef, o Suezmax "João Cândido" - 07/05/2010 - Foto: Petrobrás

O Presidente Lula na cerimônia de Lançamento de Batismo do 1º Navio do Promef, o Suezmax "João Cândido" - 07/05/2010 - Foto: Petrobrás

Estágio de encomendas
Dos 49 navios do Promef, 46 foram licitados, com 38 já contratados. Os últimos três navios estão em fase final de licitação.
Planejado e construído em função das encomendas do Promef, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Suape, Pernambuco, montará 22 navios para a Transpetro.

Cerimônia de Lançamento de Batismo do primeiro Navio do Promef - 07/05/2010 - foto: Petrobrás

Encomendas contratadas:
● Dez navios Suezmax (160.000 Toneladas de Porte Bruto-TPB) – EAS (PE) – US$ 1,2 bilhão
● Cinco navios Aframax (110.000 TPB) – EAS (PE) – US$ 693 milhões
● Quatro navios Panamax (73.000 TPB) – EISA (RJ) – US$ 468 milhões
● Quatro navios de produtos (48.000 TPB) – Mauá (RJ) – US$ 277 milhões
● Quatro navios aliviadores Suezmax DP (com posicionamento dinâmico) (160.00 TPB) – EAS (PE) – US$ 746 milhões
● Três navios aliviadores Aframax DP (com posicionamento dinâmico) (110.000 TPB) – EAS (PE) – US$ 477 milhões
● Três navios de bunker (óleo combustível marítimo) – Superpesa (RJ) – US$ 46 milhões
● Cinco navios de Produtos, para transporte de derivados de petróleo – 30 mil TPB – Estaleiro Rio Nave (RJ) – US$ 268 milhões

Encomendas com o resultado definido, à espera da assinatura dos contratos:
● Oito navios gaseiros (quatro de 7.000 m³, dois de 12.000 m³ e dois de 4.000 m³), para transporte de gás liquefeito de petróleo – Estaleiro Promar Ceará (CE) – US$ 536 milhões

Encomendas em fase final de licitação:
● Três navios de Produtos, para transporte de derivados de petróleo

Competitividade – A necessidade de modernizar e aumentar a sua frota de navios – para atingir a meta de atender a Petrobras em 100%, na cabotagem, e 50%, no longo curso – levou a Transpetro a estruturar um programa capaz de contribuir para a consolidação de uma indústria naval moderna e internacionalmente competitiva.

O programa foi desenvolvido com base em três premissas essenciais:
* construir os navios no Brasil,
* alcançar um nível mínimo de nacionalização (65% na primeira fase, 70% na segunda)
* oferecer condições para os estaleiros nacionais conquistarem, após a curva de aprendizado, competitividade em nível global

Estaleiro Atlântico Sul (EAS) em Suape, Pernambuco, criado a partir das encomendas navais da Transpetro, do grupo Petrobrás - 03/05/10 - Foto: Petrobras - aérea - Eudes Santana

Navipeças – Cada navio encomendado pela Transpetro é composto de 2 mil a 3 mil diferentes itens. Cerca de 70% das navipeças já são fabricadas no Brasil ou podem vir a ser fabricadas em um prazo relativamente curto. São itens como chapas e perfis de aço, tintas e solventes, amarras, tubulações, acessórios de casco, caldeiras, válvulas comuns e bombas centrífugas.

Outros componentes – como guinchos de amarração, âncoras, guindastes e motores auxiliares – passam a ter viabilidade de produção no país a partir da encomenda da Transpetro.

Qualificação – Em Pernambuco, no EAS, inicialmente, os futuros trabalhadores passaram por um reforço de ensino básico, com duração de 2,5 meses, em um antigo matadouro reformado e transformado em escola, hoje denominada “Nascedouro de Talentos”, em Ipojuca.

Na segunda fase, a força de trabalho é capacitada pelo Senai do Cabo de Santo Agostinho, recebendo base teórica e treinamento prático.

Na terceira fase, de cerca de três meses, o Centro de Treinamento construído pelo EAS, em Suape, oferece uma qualificação final direcionada para as atividades a serem exercidas por cada um no estaleiro (soldador, caldeireiro, mecânico, montador, pintor).

Cerimônia de Lançamento de Batismo do 1º Navio do Promef - 07/05/2010 - Foto: Petrobrás

http://www.agenciapetrobrasdenoticias.com.br/

 

Anúncios

16 respostas para Petrobras recebe o primeiro navio “Suezmax” construído no Brasil em mais de uma década

  1. Petrobrás batiza seu mais novo navio petroleiro como “João Cândido”, em homenagem ao “almirante negro”
    https://diariodopresal.wordpress.com/2010/05/08/joao-candido-petroleo-racismo-e-emprego-por-beto-almeida/

  2. […] This post was mentioned on Twitter by Diário do Pré-Sal. Diário do Pré-Sal said: Petrobras recebe o primeiro navio de grande porte construído no Brasil em mais de uma década http://wp.me/pEbI7-1wd #Transpetro #Petrobras […]

  3. E inadmissível no nosso país grandes obras deixar de ter nomes tupy(nomes indígenas)é o mínimo que podemos fazer pelos nossos antepassados,e não por nomes portugueses.Depois dizem que em 7 de setembro de 1822,tornamos independentes,mentira pura.

    • Prezado Anderson,
      Realmente é de se lamentar que não tenhamos mais referências a líderes ou nomes de lideranças indígenas que tiveram um papel de destaque na nossa história, sendo alvo de homenagens, seja ao nomearmos prédios públicos, estradas, cidades ou navios, como é este caso.

      Entretanto, não se pode esquecer que o nome dado ao novo navio petroleiro, “João Cândido”, não é um nome português “qualquer”, mais sim um nome brasileiro, simplesmente porque é o nome de um dos maiores heróis populares brasileiros da história do país no início do século XX,que foi imortalizado como “Almirante Negro”. Dê uma olhada no texto a respeito disto, postado logo a seguir:

      Petrobrás batiza seu mais novo navio petroleiro como “João Cândido”, em homenagem ao “almirante negro”
      https://diariodopresal.wordpress.com/2010/05/08/joao-candido-petroleo-racismo-e-emprego-por-beto-almeida/

  4. Eu sou soldador, tenho curso de solda com certificado.
    “Eletrodo revestido”
    COMO EU FAÇO PARA MANDAR MEU CORRICULO?

  5. jorge ueda disse:

    sou soldador a oito anos no japão e sei fazer soldas para ultrasom e raio x,mas so tenho ensino fundamental e não tenho nenhum curso do brasil,apenas do japão!sera que eu consigo trabalhar ai?

  6. fabio medeiros sipriano disse:

    trabalhei como soldador em uma multi nacional e possuo certificado de qualificação em solda…como fazer para enviar curriculo…obrigado

  7. darlan romais disse:

    Gostaria muito de participa dessa nova etapa da industria brasileira de construção de navios ou em trabalhos embarcados desde ja obrido

    darlan

  8. […] LULA DA SILVA em Pré-sal estimula o desenvolvim… em Petrobras recebe o primeiro na… Geopolítica do Atlântico Sul … em O que é o Pré-Sal darlan romais em Petrobras recebe o […]

  9. dorgivl de lima braz disse:

    Pernambuco esta de Parabéns por ter construído o seu primeiro Navio. E o Presidente também esta de Parabéns por ter investido maciçamente mo estado.

  10. Anderson Bonates disse:

    Parabéns!!!

  11. marielly disse:

    foi uma pena uma operaria como esta q foi escolhida pela tranpetro para representar as mulheres com o nosso president ser desligada do estaleiro sem quer nen pra que pacho q que perderam uma otima funcionaria ate porq a conheco d vista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: