Meta de 65% dos equipamentos do pré-sal produzidos no país só será atingida em 2019


Brasil Econômico

Petróleo & Gás
03/09/10

Indústria nacional somente terá 65% do pré-sal em 2019

Ricardo Rego Monteiro (rmonteiro@brasileconomico.com.br)

Correspondente do Brasil Econômico no Rio de Janeiro

A Petrobras só deverá alcançar a meta de 65% de equipamentos e tecnologia fornecidas por empresas nacionais nas áreas do pré-sal incluídas na cessão onerosa à União a partir de 2019.

Apenas neste ano haverá oferta adicional de plataformas e sondas no mercado brasileiro.

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, revelou ontem que, entre 2015 e 2018, os percentuais do chamado conteúdo local deverão variar de 55% a 58%, abaixo da proporção dos projetos em curso nos campos de águas profundas da Bacia de Campos.

Embora contrarie o pleito dos fornecedores nacionais do setor, que reivindicavam a manutenção das atuais proporções de conteúdo local, a decisão vem acompanhada de outra mudança na metodologia de cálculo do indicador, solicitada pelas empresas reunidas na Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

Para os projetos nas áreas da cessão onerosa, o conteúdo será calculado para cada item e subitem de equipamento utilizado em uma plataforma, por exemplo.

Atualmente, a metodologia prevê o cômputo desses índices de forma global, o que, de acordo com a Abimaq, dá margem a uma maquiagem dos números.

Somente o aço utilizado na fabricação dos cascos das plataformas já responde por quase 65% dos itens nacionalizados do empreendimento. Dessa forma, a maior parte dos equipamentos empregados na unidade pode ser adquirida no exterior.

Gabrielli também confirmou que, nas áreas da cessão onerosa, o índice de conteúdo nacional mínimo na fase inicial de exploração dos projetos é de 37%.

Para os empreendimentos que entrarem na fase de desenvolvimento da produção até 2016, a proporção mínima é de 55%; entre 2016 e 2018, aumenta para 58%.

A partir de 2019, o indicador retorna aos 65% da média atual. “Nós temos processos licitatórios para contratação de sondas que, esperamos, já estejam adiantados até 2016”, justificou o presidente da Petrobras. “A partir daí, será possível ampliar nossos índices.”

O executivo disse ainda que o contrato de cessão onerosa com a União prevê um programa exploratório de quatro anos, prorrogável por mais dois.

Ontem (2), o ministro de Minas e Energia, Marcio Zimmermann, confirmou que o objetivo do governo é assiná-lo na próxima semana.

Pelas regras do contrato, segundo Gabrielli, a Petrobras, em último caso, poderá ser ressarcida em dinheiro, pelo governo, se as áreas definidas para cessão apresentarem reservas abaixo dos 5 bilhões de barris estipulados para a capitalização.

A primeira opção, ressaltou o executivo, será em petróleo. Da mesma maneira, se apresentarem reservas superiores ao patamar estipulado, a Petrobras terá que ressarcir a diferença ao governo, em petróleo.

“Nos próximos dias, vamos começar a trabalhar em um plano para o desenvolvimento dessas áreas”, afirmou o presidente da Petrobras, ao ressaltar que a área batizada de Peroba, incluída na cessão onerosa, será usada apenas como contingência, caso as outras cinco apresentem menor quantidade de hidrocarbonetos.


http://www.brasileconomico.com.br/noticias/industria-nacional-somente-tera-65-do-presal-em-2019_90357.html

3 respostas para Meta de 65% dos equipamentos do pré-sal produzidos no país só será atingida em 2019

  1. Jorge Amado Ribeiro Soares disse:

    Sou projetista de tubulacao industrial havendo trabalhado para inumeras empresas, que tinham como cliente principal a PETROBRAS, como estou desempregado, aguardando a retomada do desenvolvimento e do emprego, desejo que o projeto pre-sal seja mil por cento positivo para que possa retornar a atividade antes que tornem-me um projetista fossil. De qualquer forma ja coloco-me de prontidao para eventual chamamento pelas minhas habilidades profissionais.

  2. Adler disse:

    De fato, tem crescido o número de estrangeiros que me procuram buscando saber como fornecer imediatamente à Petrobrás, além de como estabelecer-se no Brasil para poder continuar o fornecimento a partir de 2015.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: