Pré-Sal amplia mercado de trabalho e exigência de capacitação


O Fluminense
05/09/2010

Com ótimas perspectivas, pré-sal amplia o mercado de trabalho

Simone Schettino

Para garantir uma vaga no setor, é preciso estar capacitado e ganhar experiência nos próximos anos. Oportunidades estão disponíveis em todos os níveis de escolaridade

Até 2013, pelo menos 207 mil pessoas serão qualificadas para trabalhar na área de petróleo e gás em 185 categorias, sem levar em consideração as últimas descobertas do pré-sal, como os campos de Tupi, Júpiter e Carioca, no entorno da Bacia de Campos. Para explorar esses recursos, a construção de novas plataformas e embarcações deve gerar, cada uma, 500 novos empregos em estaleiros e 3,8 mil vagas para tripulantes que vão operar a nova frota.

Quem pensa em seguir a carreira na área vai encontrar oportunidades em todos os níveis de escolaridade. Para garantir a qualidade da mão de obra numa empreitada de tamanha responsabilidade, a Petrobras está capacitando a quinta leva de profissionais pelo Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural, do Ministério de Minas e Energia (MME), o Prominp, que aceita inscrições até o dia 12 para 2.744 vagas de capacitação em Niterói e São Gonçalo. Uma pesquisa realizada pelo Caged revelou que a taxa de aproveitamento dos egressos do programa está, atualmente, em torno de 80%.

Em Niterói é possível se inscrever nos cursos de projetistas de elétrica e instrumentação. Em Niterói é possível se inscrever nos cursos de projetistas de elétrica e instrumentação.
Fábio Luiz da Silva e Felipe Manuel Martins souberam aproveitar a qualificação para ingressar em um estaleiro. Fotos: Andre Redlich - Fornal "O Fluminense"

Fábio Luiz da Silva e Felipe Manuel Martins se qualificaram para trabalhar na construção de navios em um estaleiro. Fotos: Andre Redlich - Fornal "O Fluminense"

Com as perspectivas de crescimento, a previsão dos especialistas é de que até 2020 sejam criados meio milhão de empregos diretos e indiretos com a exploração do petróleo, apenas no pré-sal, que serão distribuídos em diversas áreas, e vão absorver profissionais de várias especialidades. Daqui a cinco anos, esses profissionais já serão experientes em suas funções, e ficarão responsáveis pela exploração de petróleo nas novas jazidas.

Garantia

O coordenador operacional do Senai Niterói, responsável pelos cursos do Prominp oferecidos pela instituição, Washington Luiz Alves, garante que os ganhos são animadores. Para quem se capacita nas funções de nível básico, com ensino fundamental e sem necessidade de experiência anterior na função, os salários médios são de R$ 1,1 mil, sendo que os iniciantes começam recebendo R$ 800 e podem chegar a R$ 3,4 mil, depois de três anos na função.

“Quando o trabalho é embarcado, o valor da remuneração dobra, porque entram adicionais de periculosidade, insalubridade, além da responsabilidade das funções, que também é levada em consideração. Isso quer dizer que, embarcado, um trabalhador de nível fundamental capacitado pelo Prominp pode chegar a receber R$ 6,8 mil”, revela.

As oportunidades para nível médio também não são poucas. A remuneração começa na faixa de R$ 980 e pode chegar a R$ 4,2 mil, sendo que a média fica em torno dos R$ 1,5 mil.

“Fora isso, em algumas funções de nível médio que requerem mais experiência, como os inspetores de solda, por exemplo, os salários chegam a alcançar R$ 5,4 mil em terra. Esse alto valor é oferecido em função da grande cobrança que recai sobre o cargo, já que um defeito não detectado em uma solda pode acarretar desde centenas de mortes até um desastre ecológico de grandes proporções”.

Ainda de acordo com Washington, os profissionais de nível superior, que cursam as capacitações do programa, começam recebendo de R$ 2,2 a 3 mil, podendo chegar a R$ 4,8 mil.

Conquista

Quem soube aproveitar muito bem a oportunidade oferecida pelo programa foi o encanador praticante Fábio Luiz da Silva, de 29 anos. Ele concluiu dois cursos pelo Prominp, o primeiro de montador de andaimes e o segundo de encanador. Agora faz curso técnico em Máquinas Navais à noite no Colégio Henrique Lage. Antes o rapaz trabalhava como segurança, mas hoje tem carteira assinada e recebe benefícios como vale transporte, refeição e plano de saúde pela empresa.

“Penso em fazer uma faculdade depois que estiver estabilizado financeiramente. Estou correndo atrás para estudar bastante porque quando a exploração do pré-sal começar a bombar vão precisar de pessoas experientes para o trabalho. Até lá já vou estar mais qualificado e posso exercer uma função com remuneração bem melhor”, planeja.

Já o ex-pedreiro Felipe Manuel Martins, de 31, conseguiu ser contratado por um estaleiro em Niterói apenas duas semanas depois de concluir o curso de encanador pelo Prominp.

“Fui contratado no mesmo dia em que levei meu currículo ao estaleiro, por isso me considero um sortudo. Agora estou fazendo um curso técnico em máquinas navais para me aprimorar e aumentar o meu salário”.

O rapaz, que estava desempregado quando foi fazer o curso, recomenda o investimento de tempo na capacitação.

“Se eu fosse fazer por minha conta, o curso ia custar em torno de R$ 1,5 mil e eu não teria condições de pagar por ele. Vou continuar a estudar porque estou de olho nas vagas do pré-sal e do estaleiro que está sendo construído em Itaboraí”, diz.

Prominp: primeiro passo

Para se candidatar a uma das 2.744 vagas da região, os interessados devem ter idade igual ou superior a 18 anos, além de preencher os pré-requisitos do curso desejado, que estão disponíveis no site www.promimp.com.br. As inscrições podem ser feitas até dia 12 no mesmo endereço eletrônico ou nos postos de inscrição credenciados, que estão listados no edital.

Para os cursos de nível básico a taxa de inscrição é de R$ 24; nos níveis médio e técnico, R$ 40 e, para nível superior, R$ 60. Os candidatos aprovados que estiverem desempregados durante o curso receberão bolsa-auxílio mensal no valor de R$ 300 (nível básico), R$ 600 (níveis médio e técnico) e R$ 900 (nível superior).

O Senai alerta que a participação nos cursos não garante emprego aos alunos, mas as empresas procuram candidatos que são encaminhados pelo programa, como foi o caso de Fábio e Felipe.

Capacitações oferecidas

Niterói: 1 mil
Básico (544)
Mecânico montador (48); montador (192); soldador de estrutura (304)
Médio (306)
Desenhista projetista de tubulação (51); projetista Cae elétrica (45); projetista Cae instrumentação (75); projetista Cae tubulação (75); projetista Pdms (60)
Superior (120)
Engenheiro de campo – construção e montagem (30); Engenheiro de suprimento (30); Engenheiro de processamento petroquímico (30); Projetista Cae processo (30); Técnico (30); Administrador Comos (15); Administrador de Pdms (15)

São Gonçalo: 1.744
Caldeireiro (96); encanador industrial (368); isolador (16); mecânico ajustador (16); mecânico montador (32); montador (112); soldador de estrutura (288); soldador de tubulação (816)

Pesquisa e construção

As oportunidades na indústria de petróleo e gás estão distribuídas em quatro pilares, que são pesquisa, construção, operação e suprimentos. Para trabalhar com pesquisa tecnológica, as áreas de formação indicadas são Engenharia do Petróleo, Engenharia Naval ou Tecnologia da Exploração. Quem optar pelo setor de construção deve ter em mente que as novas plataformas e refinarias vão absorver milhares de operários, técnicos e engenheiros.

Depois de prontas ainda vão gerar empregos para quem for trabalhar na operação e manutenção das embarcações. Com toda essa movimentação, serão necessários suprimentos, fornecedores de materiais e equipamentos que estão sendo credenciados pela Petrobras para abastecer a frota com todo tipo de produtos, desde fogões para a cozinha das plataformas até tubulações de aço para o petróleo.

 

Fonte:  Jornal O Fluminense

Anúncios

6 Responses to Pré-Sal amplia mercado de trabalho e exigência de capacitação

  1. Olá, gostei da informação disponibilizada aqui no seu site.

    Tenho também um site na área de trabalho (http://trabalhotemporario.org) se quiser visitar.

    Cumprimentos,
    Mariana

  2. Ronaldo Barbosa disse:

    Bom Dia.
    As informações são bem claras, mas eu gostaria de saber se exite um projeto para a região costeira do estado do Pará,caso afirmativo qual seria o orgão responsavel para dar treinamento de capacitação.

  3. RODRIGO disse:

    O petroleo e nosso por isso temos que lutar por ele

  4. Michardson de Jesus Silva Barros disse:

    Como posso me candidatar, para a vaga de montador de andaimes? Já trabalho nessa aréa a mas de 6 anos.

  5. quero saber se tem serviços para tercerizado. gostaria de ter uma chance na area de petroleo minha profissao é de encanador.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: