Palestras na UFRGS: Calouradas 2009

15 de março de 2009

http://dceufrgs.wordpress.com/2009/03/15/calouradas-2009/
15/03/2009

Calouradas 2009

Publicado por DCE-UFRGS em Domingo, 15/03/09

Se correr a crise pega, se ficar a crise come… e aí, pra onde vamos?


Na próxima semana iniciam as Calouradas. A programação das atividades consiste em um ciclo de palestras temático, no qual procura-se sempre abordar um tema candente da atualidade. Como não poderia deixar de ser, neste ano temos como tema a crise econômica e seus desdobramentos em várias áreas (educação, saúde, meio ambiente, energia, territórios entre outras).

Durante a escolha dos sub-temas e debatedores, procuramos abranger boa parte das áreas do conhecimento. Ainda que a abrangência em alguns casos aparentemente não seja imediatamente ligada a determinadas áreas, buscamos contemplar não somente as demandas estritamente estudantis, mas de todos que sofrerão os impactos da crise e que, portanto, estão interessados em buscar alternativas para superá-la. Afinal, como nos alerta Florestan Fernandes, sociólogo brasileiro: “Ou os estudantes se identificam com o destino do seu povo, com ele sofrendo a mesma luta, ou se dissociam do seu povo, e nesse caso, serão aliados daqueles que exploram o povo.”


Saudamos em especial a ti, calouro (a) e te desejamos um excelente início!


Conheça agora parte da trajetória dos palestrantes que você ouvirá na semana que vem.

SEGUNDA-FEIRA (16/03)

18h30 – Pra onde vão os Movimentos Sociais?

Local: Auditório do Instituto Latino-Americano de Estudos Avançados (ILEA) – Campus do Vale

Debatedores:

Eliane Martins é graduada em História pela UFSM e militante do Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD).

Jorge Alberto Quillfeldt é professor do Departamento de Biofísica do Instituto de Biociências da UFRGS desde 1992. Entre 2003-2007 foi Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Neurociências do Instituto de Ciências Básicas da Saúde, também da UFRGS. Sua trajetória iniciou na licenciatura em Física da UFRGS (a qual concluiu em 1986). Em 1989 obteve o título de mestre em Bioquímica e, em 1994, de doutor em Fisiologia, ambos pela UFRGS. Atualmente é pesquisador e Orientador na área de Neurofarmacologia e Psicobiologia da Memória. Além de pesquisador na área das ciências naturais, é um profundo conhecedor da realidade latino-americana e dos movimentos sociais atuantes, como o Exército Zapatista de Libertação Nacional – que defende os direitos indígenas no México.

Representante do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)

Representante do Movimento Terra e Liberdade (MTL)

———————-

18h30 – As crises da crise: território, alimentos e as fontes energéticas

Local: Salão de Atos 2 – Reitoria – Campus Centro

Debatedores:

Edson Flores estudou Engenharia de Minas na UFRGS (à época fez parte da coordenação geral do DCE). Atualmente é presidente do Sindicato dos Petroleiros do Estado (Sindipetro/RS). A principal campanha em que o mesmo tem se envolvido desde o ano passado intitula-se “O Petróleo tem que ser nosso”, a qual trás novamente à tona a necessidade do retorno do controle estatal sobre a exploração do petróleo existente no País, com maior ênfase nas descobertas recentes de reservas nomeadas de “pré-sal”.

Eduardo Fillippi graduou-se em Economia na UFRGS em 1993, e obteve o título de mestre em Economia Rural (pela mesma universidade) em 1997. Em 2004 obteve o título de doutor em Economia Política pela Universite de Versailles Saint-Quentin-en-Yvelines (UVSQY), França. Trabalhou com análise de mercado no Sindicato das Indústrias de Artefatos de Borracha do RS (SINBORSUL) e na Editora Safra. Atualmente ministra disciplinas para os cursos de Economia e Relações Internacionais, bem como para o PPGE (Programa de Pós-graduação em Economia) e PPGDR (Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural), e coordena dois projetos de pesquisa. Tem dois livros publicados, sendo um deles “Reforma agrária – Experiências internacionais em reordenamento agrário e a evolução da questão da terra no Brasil” (Edufrgs, 2005).

Clique aqui para ler artigo Experiências internacionais de reforma agrária: entre socialismo e populismo?

Clique aqui para ler artigo Os Sistemas Agro-alimentares locais e as inter-relações com a economia ecológica


Rualdo Menegat é geólogo, Mestre em Geociências (UFRGS), Doutor em Ciências na área de Ecologia de Paisagem (UFRGS). Atualmente atua junto ao Departamento de Paleontologia e Estratigrafia do Instituto de Geociências da UFRGS, Editor da Revista Episteme do Grupo Interdisciplinar em Filosofia e História das Ciências do Instituto Latino-Americano de Estudos Avançados (ILEA) da UFRGS, assessor científico da National Geographic Brasil. Foi o Coordenador-geral do Atlas Ambiental de Porto AlegreDesenvolvimento sustentável e gestão ambiental nas cidades (Edufrgs, 2004). Possui 115 itens de produção técnica, participou de 21 eventos no exterior e 110 no Brasil e recebeu 15 prêmios e homenagens.  Foi Secretário Adjunto da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Porto Alegre (1994-1998), Conselheiro do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Rio Grande do Sul (1993-1994), Coordenador do Curso de Geologia (2000-2002), Coordenador do Grupo Interdisciplinar em Filosofia e História das Ciências do ILEA (2003-2005).

———————-

TERÇA-FEIRA (17/03)

13h30 – Crise energética e disputas geopolíticas

Local: Auditório do Instituto Latino-Americano de Estudos Avançados (ILEA) – Campus do Vale

Debatedores:

Marcus Vianna participou do Movimento Estudantil na UFRGS, tendo sido coordenador geral do DCE na gestão 2006/2007. Graduou-se em História com o trabalho de conclusão intitulado A Revolução Boliviana nas Páginas de Porto Alegre. Atualmente tem se dedicado a estudar e a visitar o país andino.

Lucas Kerr de Oliveira obteve o título de Doutor em Ciência Política, ênfase em Política Internacional, na UFRGS no ano passado com a tese intitulada A Política das Disputas por Petróleo na África. Mestre em Relações Internacionais pela UFRGS. Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de São Carlos – UFSCar (2004). Foi coordenador pedagógico do curso pré-vestibular popular da UFRGS em 2007-2008 e atuou como professor em pré-vestibulares populares desde 1999, nas áreas de Geografia, História e Atualidades. Pesquisa a área de Política Internacional e Relações Internacionais, principalmente Segurança Internacional e Segurança Energética, com ênfase nos temas: África Subsaariana, Energia, Petróleo e Recursos Naturais, Paz & Conflitos Internacionais.

Clicando aqui você pode baixar a dissertação de mestrado do professor Lucas Kerr.

Paulo Brack é biólogo e mestre em Botânica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e doutor em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos. Foi gerente da Reserva Biológica do Lami e biólogo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Porto Alegre. Desde 1994 é professor do curso de Biologia e do Curso de Pós-Graduação em Diversidade Animal (ambos da UFRGS). Foi curador do Herbário ICN do Departamento de Botânica do Instituto de Biociências da UFRGS. Participou como membro da comissão de elaboração da Lista da Flora Ameaçada do RS (Decreto Estadual 42099/2002) e da equipe de revisão da Lista de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção. Atuou como sub-coordenador do projeto Plantas do Futuro Região Sul (PROBIO – MMA); ex-consultor da elaboração do projeto RS Biodiversidade do Governo do Estado do RS para o Global Environment Facility e Banco Mundial. Atualmente é consultor de revistas técnicas sobre temas relacionados a Botânica, estado de conservação da flora, impactos ambientais de empreendimentos como loteamentos, hidrelétricas e silvicutura. É figura atuante em fóruns para o fortalecimento de políticas sobre biodiversidade. Além disso, é membro da CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), indicado pelo FBOMS (Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para Meio Ambiente e o Desenvolvimento) e do CONSEMA-RS (Conselho Estadual do Meio Ambiente), representando o Ingá (Instituto Gaúcho de Estudos Ambientais).

Clique aqui para ler uma entrevista com o professor Paulo Brack realizada pelo IHU Online.

———————-

18h30 – A crise econômica e os impactos na Saúde

Local: Auditório do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) – Campus Saúde

Debatedores:

Maria Ceci Misoczky graduou-se em Medicina pela UFRGS em 1978. Em 1990, obteve o título de Mestre em Planejamento Urbano e Regional pela Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul com a dissertação intitulada A luta dos trabalhadores rurais do Rio Grande do Sul pelo direito à saúde: a conquista que não houve e, em 2002, doutorou-se em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (sua tese de doutorado intitulou-se O campo da atenção à saúde após a Constituição de 1988: uma narrativa de sua produção social). Atualmente é professora adjunta do Departamento de Ciências Administrativas da UFRGS. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração Pública e Estudos Organizacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: administração pública, análise de políticas públicas, teorias organizacionais, gestão em saúde.

Renato Paese é advogado da ASERGHC – Associação dos Servidores do Grupo Hospitalar Conceição. A associação surgiu em 1976, unicamente com o intuito de prestar assistência aos funcionários. Em 1987, devido à omissão do sindicato majoritário, assumiu o papel de levar adiante as reivindicações dos funcionários. A ASERGHC tem realizado desde sua fundação atividades de integração, protestos, assembléias e lutas em defesa dos interesses dos trabalhadores do Grupo Hospitalar Conceição (GHC), tendo em vista a qualidade da saúde, sua gratuidade e caráter público.

———————–

QUARTA-FEIRA (18/03)

18h30 – Brasil: aqui a crise é mais embaixo

Local: Auditório da Faculdade de Ciências Econômicas (FCE) – Campus Centro

Debatedores:

Bernadete Menezes é natural de Belém (PA). Atua nos movimentos sociais há 30 anos, quando iniciou a sua participação no movimento secundarista em São Paulo. Em 1983 foi presa e enquadrada na Lei de Segurança Nacional, processo do qual foi absolvida em julgamento quase dois anos depois. Transferiu-se para Porto Alegre no início dos anos 90, onde foi vereadora. Foi membro da Executiva Nacional da CUT, entidade da qual se desvinculou posteriormente. Atualmente é dirigente nacional da Intersindical e Coordenadora Geral da Associação dos Servidores da UFRGS (ASSUFRGS).

Gilmar Mauro é um dos fundadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e membro da sua Coordenação Nacional.

Clique aqui para ler uma entrevista com Gilmar Mauro.

Luiz Augusto Estrela Faria possui graduação em Ciências Econômicas (1979) e mestrado em Economia pela UFRGS (1991) e doutorado em Economia pela UFRJ (2001). Atualmente é técnico da Fundação de Economia e Estatística, editor da revista Indicadores Econômicos FEE e professor da UFRGS nos cursos de pós-graduação em Economia e em Relações Internacionais e nos cursos de graduação em Ciências Econômicas e em Relações Internacionais. Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Política e Economia Internacional, atuando principalmente nos seguintes temas: economia brasileira, integração econômica, globalização, relações exteriores do Brasil e Mercosul.

Ronald Rocha nasceu em Inhapim, MG. Estudou Engenharia Mecânica na UFMG e prosseguiu com especialização na área Econômica da antiga ENE-UB (RJ), onde iniciou a militância política. Cursou Sociologia na UFRJ. Ocupou a Diretoria da UME (União Metropolitana dos Estudantes) do Rio de Janeiro em 1967, a presidência do Centro Acadêmico Edson Luís (CAEL) em 1968 e a vice-presidência da UNE em 1969-72. Foi preso político durante o regime militar em 1972-1973 e afastado da Universidade por três anos pelo Decreto 477. Depois, formou-se no ISEP (Divinópolis, MG) e estudou Filosofia da História na USP em regime de pós-graduação. Pesquisou pela FAPESP, lecionou Antropologia, História do Brasil e Economia Política no ensino superior, dirigiu uma cooperativa rural, trabalhou no ramo editorial, atuou na escolarização de trabalhadores, participou da Fundação Perseu Abramo como Curador e integrou conselhos de várias revistas teóricas nas áreas de Ciências Humanas. Produziu dezenas de ensaios para periódicos ou coletâneas especializados e seis livros, dentre os quais “Democracia Divina e Democracia Profana”, prefaciado por Ricardo Antunes e Florestan Fernandes.

———————–

QUINTA-FEIRA (19/03)

18h30 – Crise econômica: a pedagogia da exploração

Local: Sala 101 da Faculdade de Educação (FACED) – Campus Centro

Debatedores:

Fábio Félix participou da ocupação da Reitoria da UnB em abril de 2008, realizada como forma de pressão para que o reitor Timothy Mulholland – o das lixeiras de R$1000 – renunciasse ao cargo. É estudante de Serviço Social da UnB, Coordenador Geral do DCE-UnB (Diretório Central dos Estudantes) e Secretário de Movimentos Sociais do LASSOS (Laboratório de Políticas Sociais da UnB).

Neiva Lazzarotto é professora de língua portuguesa e milita no Sindicato dos Trabalhadores em Educação da rede pública estadual do RS (CPERS/Sindicato) desde o ano de 1986, onde atualmente ocupa o cargo de Segunda Vice-Presidente. Diretora da Confederação Nacional de Educação (CNTE) gestão 2000-2006, participou de sete edições do Fórum Social Mundial, três edições do Fórum Mundial de Educação e de duas edições do Congresso Nacional da Educação (CONED), – movimento da Sociedade Civil – universidades, sindicatos – nos anos 90. Integra a coordenação Estadual da Intersindical.

Representante do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN)

FIQUE LIGADO!

TROTE SOLIDÁRIO NO CAMPUS DO VALE

Na quarta-feira (18/03) teremos diversas atividades culturais e de integração. Uma unidade móvel receberá doações de sangue da galera. Shows ao vivo e atividades culturais. A partir das 11h.

Decadénce avec élégance, a festa!

Encerraremos a semana das Calouradas com uma grande festa, na escola de samba Acadêmicos da Orgia (Av. Ipiranga, em frente à Escola de Farmácia). A partir das 23h, com entrada franca para estudantes da UFRGS com direito a um acompanhante de fora da Universidade e show das bandas Os Aventuras, Turucutá e Tribo Brasil.

Realização:

DCE UFRGS – Gestão 2008/2009 – DCE Sempre em Frente. UFRGS, pra que(m) te quero?!

http://dceufrgs.wordpress.com/2009/03/15/calouradas-2009/
Anúncios

Petrobras pretende ampliar atividades no Uruguai

10 de março de 2009

http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/03/10/materia.2009-03-10.0764156399/view
10 de Março de 2009

Petrobras pretende ampliar atividades no Uruguai

Mylena Fiori

Repórter da Agência Brasil

Brasília – A Petrobras pretende expandir sua participação na distribuição de gás no Uruguai por meio de uma joint venture (parceria empresarial)com alguma empresa local. A estatal também está disposta a investir na exploração de gás e petróleo no país vizinho. A ampliação das atividades da Petrobras no Uruguai foi um dos temas tratados hoje (10), durante a visita do presidente Tabaré Vázquez ao Brasil.

“Eles [Petrobras] estão muito otimistas quanto à descoberta de gás e também de petróleo. Ao que tudo indica, haveria uma espécie de pré-sal uruguaio”, comentou o assessor especial da Presidência da República Marco Aurélio Garcia, ao final da reunião entre presidentes e ministros dos dois países.

A cooperação energética foi um dos temas centrais do encontro bilateral, que contou com a presença dos ministros de Minas e Energia do Brasil, Edison Lobão, e de Indústria, Energia e Mineração do Uruguai, Daniel Martínez. Há um mês, durante visita do chanceler uruguaio, Gonzalo Fernández, a Brasília, ficou acertado que o Brasil fornecerá 500 megawatts de energia elétrica por dia ao Uruguai, para suprir a carência energética resultante da intensa seca no país vizinho.

Hoje, os dois países assinaram um adendo ao Memorando de Entendimento sobre Interconexão Elétrica, de 5 de julho de 2006, determinando a aceleração dos trabalhos para concretização do fornecimento de energia brasileira para o Uruguai. O documento orienta o grupo de trabalho de interconexão elétrica a apresentar propostas para a aquisição da energia interruptível pelo Uruguai, e respectivos preços para a energia transferida do Brasil para aquele país.

O texto também determina que o grupo aprofunde os estudos nos próximos 60 dias, no sentido de viabilizar contrato para construção e operação de uma linha de transmissão elétrica de grande porte entre San Carlos, no Uruguai, e Candiota, no Brasil. O grupo de trabalho também deverá facilitar acordos entre as empresas Eletrosul e Eletrobrás, do Brasil, e UTE, do Uruguai.

Em declaração conjunta, os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Tabaré Vázquez pedem às respectivas chancelarias que intensifiquem as reuniões do grupo de trabalho para solucionar, ainda neste ano, todas as questões envolvidas no projeto de interconexão energética – incluindo temas tributários, regulatórios, fontes de financiamento, condições de exportação de energia interruptível, contrato de fornecimento de energia no longo prazo e avaliação da necessidade de acordo bilateral sobre interconexão elétrica para garantir segurança jurídica ao empreendimento.

Ainda na área energética, os dois presidentes decidiram estreitar a cooperação bilateral e multilateral visando ao desenvolvimento de biocombustíveis.

Segundo Marco Aurélio Garcia, outro tema tratado pelos presidentes foi a ampliação dos investimentos brasileiros no Uruguai, com perspectivas no setor de produção de cimento.

Lula, Tabaré e os ministros também falaram sobre integração produtiva – um dos principais pontos da agenda do Mercosul. Foram analisadas perspectivas de complementaridade nos setores de autopeças, informática, plásticos, farmacêutico, naval e aeronáutico.

Outro assunto discutido foi a possibilidade de realização de operações de swap cambial (contratos que trocam o rendimento em juros pela variação do dólar) pelo Banco Central brasileiro com países latino-americanos, como já ocorre com o Fed, o Banco Central norte-americano. O assunto já havia sido tratado pelos ministros da Fazenda do Brasil e do Uruguai e voltou à pauta em fevereiro, durante a visita do chanceler uruguaio a Brasília

Brasil e Uruguai também firmaram um acordo de serviços aéreos para operação desses serviços entre os dois países e um ajuste complementar ao Acordo Básico de Cooperação Científica e Técnica entre Brasil e Uruguai, para o ensino de português a agentes da Polícia Rodoviária do Uruguai.

http://www.agenciabrasil.gov.br/noticias/2009/03/10/materia.2009-03-10.0764156399/view

%d blogueiros gostam disto: